Breaking News
Loading...
Wednesday, 28 November 2012

A curta-metragem "O Estrondo" está a obter um sucesso considerável pelas redes sociais, tendo alcançado mais de 610 mil visualizações no espaço de um mês. Com uma história leve e bem humorada sobre "dois gunões" viciados em chocapitos, a curta tem uma legião de fãs que apoiam de forma fervorosa o projecto, uma página do Facebook muito movimentada e uma sequela que promete "estrondeira" a caminho. Os bloggers do Rick´s Cinema não têm sido indiferentes a "O Estrondo", nem ao trabalho do seu realizador, Rúben Ferreira e decidiram desafiar o mesmo a conceder uma breve entrevista (on-line) ao blogue.

Para quem não conhece, Rúben Ferreira conta com um conjunto assinalável de curtas-metragens no seu currículo, entre as quais, “O Lenhador Assassino”, “O Lenhador Assassino 2”, “O Lenhador Assassino 3”, “Nerds”, “O Bombom” e “Uma Noite Fodida”, um conjunto de curtas-metragens amadoras que revelam bem a criatividade do seu autor. As questões colocadas a Rúben Ferrreira centram-se em  temas como as suas referências cinematográficas, o sucesso de "O Estrondo", os seus primeiros projectos, bem como, a sequela de "O Estrondo". Fiquem agora com a entrevista:

Rick´s Cinema: O Rúben Ferreira conta com um conjunto assinalável de curtas-metragens realizadas. Sempre sonhou ser realizador de cinema?

Rúben Ferreira: Sim, e ainda sonho, pois ainda não me considero um realizador profissional, quero formar-me em cinema para saber e aprender muita coisa que ainda não sei.

Rick´s Cinema: Quais são as suas maiores referências a nível cinematográfico?

Rúben Ferreira: Sem dúvida que as minhas grandes referências são Steven Spielberg, Frank Darabont, David Fincher e Robert Zemeckis.

Rick´s Cinema: No espaço de um mês, 'O Estrondo' já conta com mais de 560 mil visualizações. Esperavas ter tanto sucesso com esta curta? Como explica toda esta aderência por parte do público?

Rúben Ferreira: Bom, o filme “O Estrondo” surgiu como sabe de uma parceria com o ator Alexandre Santos que já tinha um numero considerável de fãs. Não esperava que o filme fosse o êxito que foi, pois até na produção foi algo com muito menos preparação a comparar com outras curtas que já tinha feito. Acho que houve uma grande aderência do público pois foi algo novo, algo que nunca ninguém se tinha lembrado de fazer, e claro a actuação do actor e meu amigo Alexandre Santos que ajudou muito.

Rick´s Cinema: Quais foram os maiores desafios para tirar “O Estrondo” do papel?

Rúben Ferreira: Bom, realizar um filme é sempre um desafio, quando não temos grande material, nem orçamento. O filme do Estrondo foi relativamente fácil de realizar pois também o argumento estava pensado á nossa realidade.

Rick´s Cinema: Como surgiu a colaboração com o Alexandre Santos?


Rúben Ferreira: Eu e o Alexandre Santos já nos conhecíamos à algum tempo, mas apenas pela Internet, ele era fã dos meus filmes e eu dos vídeos super cómicos dele. Foi só uma questão de tempo até combinarmos fazer um filme, combinamos e foi isto que saiu.

Rick´s Cinema: Quais foram os principais objectivos ao realizar “O Estrondo”?

Rúben Ferreira: O objectivo foi no fundo fazer algo diferente do que tenho feito, pois ultimamente só tinha feito filmes de acção e terror. E claro promover a minha imagem e do Alexandre.

Rick´s Cinema: Pode apresentar 'O Estrondo' aos nossos leitores?

Rúben Ferreira: O filme "O Estrondo" é uma sátira a um tipo de pessoas que existem aqui no norte. No filme brincamos com esse assunto e exageramos para provocar a comédia. O filme em si acompanha o dia a dia de dois gunões, que por mero acaso acabam por se envolver numa pequena aventura.

Rick´s Cinema: Vários são os comentários de fãs a comparar o vosso trabalho com a saga “Balas e Bolinhos”. Como é para o Rúben Ferrreira ver o “O Estrondo” ser comparado com uma trilogia que tem obtido um sucesso fenomenal junto do público?

Rúben Ferreira: É algo mesmo muito bom e que sentimos muita felicidade em sermos comparados com alguém que de certa forma nos inspira. O próprio Luís Ismael já fez questão de nos mandar umas palavras de apoio, algo que nos deixou ainda com mais vontade de nunca parar de fazer filmes.

Rick´s Cinema: Porque acha que surgiu essa comparação?

Rúben Ferreira: Penso que a comparação vem por ser apenas um filme amador que se está a tornar sucesso. Exite uma associação lógica de “foi assim que o primeiro filme do Balas e Bolinhos começou” e claro a linguagem que utilizamos no filme é outro grande fator de comparação.

Rick´s Cinema: O sucesso de “O Estrondo” está a ser uma boa oportunidade de dar a conhecer a trilogia de “O Lenhador Assassino”, “O Bombom”, entre outros dos teus trabalhos. Podes apresentar-nos esses trabalhos?

Rúben Ferreira: Sim, foi sem dúvida, tenho sentido um grande aumento de visualizações nos meus outros filmes o que é muito bom para as pessoas saberem que a Dark Studios não é só “O Estrondo”.    
 Bom o “Lenhador Assassino” é uma saga de terror inspirada nos grandes slashers americanos, um tipo de filme que sempre adorei. A curta metragem “O Bombom” é mais uma brincadeira daquelas que fazemos para fazer o pessoal rir. O meu objectivo nesse tipo de curtas é mesmo fazer rir o público usando poucos meios e penso que temos conseguido porque a reacção tem sido bastante positiva.

Rick´s Cinema: Algumas das curtas já foram exibidas na Sic Radical. Para quando a exibição das mesmas em festivais? É um dos objectivos do Rúben?

Rúben Ferreira: Para ser sincero não, Mas quem sabe mais tarde não começo a investir mais em curtas especialmente feitas para festivais.

Rick´s Cinema: 'O Estrondo 2' já está a caminho. O que os nossos leitores podem esperar da sequela?

Rúben Ferreira: Podem esperar uma grande aventura, seguindo claro os passos do primeiro filme, mas ao mesmo tempo inovando. É um projecto maior onde já temos alguns apoios que suportam os nossos gastos e a nossa logística.

Rick´s Cinema: Uma última pergunta. Se tivesses um orçamento milionário, qual seria o projecto que escolhias realizar?

Rúben Ferreira: É uma pergunta complicada, mas talvez fizesse uma longa metragem da minha saga “O Lenhador Assassino”e filmaria numa aldeia portuguesa bem remota, para mim são dos melhores cenários que existe.

0 comments:

Post a Comment