Breaking News
Loading...
Wednesday, 19 December 2012

O Natal é quando um Homem quiser. Deve ter sido com este pensamento que a RTP decidiu exibir a minissérie "Perdidamente Florbela" de Vicente Alves do Ó, a partir do dia 26 de Dezembro. É verdade, o Natal é no dia anterior, mas a RTP prepara-se para dar uma prenda aos seus espectadores, logo no dia a seguir, qual familiar com problemas de agenda e memória que se esquece de dar a prenda a tempo e horas, compensando a situação com um presente requintado. Composta por três episódios, exibidos entre 26 a 28 de Dezembro de 2012, "Perdidamente Florbela" conta com dez novas personagens e cinquenta minutos de material inédito em relação ao magnífico filme que conquistou o coração de milhares de espectadores, prometendo ser um sucesso de audiência e da crítica.
  Baseada na vida da poetisa Florbela Espanca, "Perdidamente Florbela" acompanha vários momentos da vida desta lendária figura nacional, ao longo de três episódios, que acompanham a vida da poetisa, desde o berço no Alentejo até às festas e revoluções na Lisboa dos anos 20. Se "Florbela", o filme escrito e realizado por Vicente Alves do Ó, apresentava uma Florbela que não consegue escrever, a série mostra-nos uma Florbela que só consegue escrever numa constante sede de infinito.  
  Com um elenco recheado de caras bem conhecidas do grande público, entre os quais Dalila Carmo como Florbela Espanca, Ivo Canelas como Apeles, Albano Jerónimo como Mário Lage, a série conta ainda com as presenças de Soraia Chaves, Maya Booth, José Neves, Maria João Abreu, António Fonseca, Diana Costa e Silva, Graciano Dias, Anabela Teixeira, Rita Loureiro, entre outros.
  Tal como no filme, o papel de Florbela Espanca, um nome marcante da poesia portuguesa, ficou a cargo de Dalila Carmo. Sobre o desempenho da actriz como Florbela Espanca foi dito no Rick´s Cinema que "o carácter apaixonado, melancólico, sonhador, polémico, e sensual de Florbela Espanca tem na actriz uma intérprete fantástica, ao conseguir mesclar as diferentes facetas da poetisa de forma natural", tendo ainda sido sublinhado que este é "um dos papéis mais carismáticos da sua carreira". Em entrevista ao Rick's Cinema, Dalila Carmo sublinhara exactamente que Florbela Espanca é a personagem mais marcante da sua carreira "Tive muitos momentos que me trouxeram grandes felicidades, mas este era "O" papel que esperava há muito tempo. Não por ser a Florbela, com a qual nem tive grande relação até começar a descobrir para o filme (agora adoro-a) mas por ser um trabalho tão bonito e que como actriz, interiormente, me levou a tantos lugares".
 Quem também sobressaiu ao longo do filme foi Ivo Canelas como Apeles Espanca, o irmão de Florbela, com quem esta mantém uma relação de grande proximidade, com ambos a partilharem uma certa rebeldia em relação à vida e ao amor, algo que nem sempre era bem visto por Mário Lage, o terceiro marido da poetisa. Aquando da estreia de "Florbela", o Rick´s Cinema dedicou artigos individuais a Mário Lage, Apeles e João Maria Espanca, que podem ler nos seguintes links:
- Albano Jerónimo é Mário Lage em "Florbela"
- Ivo Canelas é Apeles em "Florbela"
- António Fonseca é João Maria Espanca em "Florbela"

Se nomes como Dalila Carmo, Ivo Canelas, Albano Jerónimo, José Neves já tinham mostrado o seu talento em "Florbela", vale a pena realçar que a série se prepara para contar com um conjunto de novas adições no elenco, das quais sobressaem os nomes de Soraia Chaves, Maria João Abreu, Maya Booth, Diana Costa e Silva, Graciano Dias, entre outros.
 A incontornável Soraia Chaves interpreta Antónia Lobo, o "fruto proibido" na vida de João Espanca, com quem mantém uma relação, da qual nasce Florbela Espanca e Apeles. Se Soraia Chaves interpreta o "fruto proibido", Maria João Abreu interpreta Mariana Inglesa, a esposa de João Espanca, uma mulher doce e delicada que aceita apadrinhar os filhos do marido com Antónia Lobo. Outro dos destaques é a presença de Diana Costa e Silva (que já trabalhara com Dalila Carmo e Ivo Canelas em "Histórias de Alice") como Henriqueta, a empregada da família Espanca, que mais tarde viria a casar com João Espanca, sendo um importante elo de ligação entre este último e Florbela, quando as relações entre pai e filha conheceram um período menos positivo.
  Ao longo de "Florbela", tivemos a oportunidade de ver José Neves a interpretar António Guimarães e Albano Jerónimo a dar vida a Mário Lage, o segundo e terceiro maridos de Florbela; em "Perdidamente Florbela" somos apresentados a Alberto Moutinho, o primeiro marido da protagonista, interpretado por Graciano Dias. Outra das novidades do elenco é Maya Booth, como Ana, uma das amigas de infância da poetisa (na foto).

Numa fase em que se fala em crise na RTP, com as célebres rábulas em volta da sua privatização, é sempre um prazer ver a utilidade da estação, a fazer serviço público e a lançar uma minissérie sobre um dos nomes incontornáveis da poesia nacional, Florbela Espanca. Para além de material do filme, a série conta ainda com várias cenas e personagens inéditas, naquela que é a estreia de Vicente Alves do Ó na realização de episódios de séries televisivas. Depois de realizar longas-metragens como "Quinze Pontos na Alma" e "Florbela", curtas-metragens como "A Assassina Passional está Louca!", escrito vários argumentos e até o livro "Marylin à Beira-Mar", Vicente Alves do Ó prova mais uma vez a sua versatilidade e promete voltar a surpreender-nos pela positiva. A série é produzida pela Ukbar Filmes e exibida pela RTP. 

Os episódios têm as seguintes sinopses:
 Sinopse do primeiro episódio (contém spoilers) - 1894. Florbela nasce na pequena vila alentejana de Vila Viçosa. Filha de mãe solteira, quando completa poucos anos de vida é tirada dos braços da mãe pelo pai, João, e levada para uma nova vida. A infância é marcada pelos livros, a vontade de escrever e o irmão Apeles que cresce a seu lado e sob o olhar cuidado da madrasta, Mariana.
 Anos mais tarde, Florbela conhece aquele que viria a ser o seu primeiro marido, Alberto. O casamento é marcado, mas a vida a dois não satisfaz uma mulher que questiona tudo. Dá aulas, vive aqui e ali, percorrendo o sul do país, até que uns poemas publicados num jornal de Lisboa revolucionam a cabeça da jovem poetisa.
 Em 1919 publica o primeiro livro com a ajuda do pai, divorcia-se para escândalo local e muda-se para Lisboa onde conhece o segundo marido, António, militar de carreira e que a levaria novamente para longe do bulício da capital. Mas este segundo casamento acaba em fracasso e a violência das palavras transformam-se em violência física. No rescaldo deste período menos feliz, Florbela conhece Mário Lage, ababandona a escrita e prepara-se para uma nova etapa da sua vida.
  Sinopse do segundo episódio (contém spoilers) - Estamos em 1925, Florbela abandona a casa onde vivia com o segundo marido e instala-se na vida do terceiro - Mário Lage. É um período difícil. A família dela - pai e irmão - não viram com bons olhos o segundo divórcio e cortam relações com ela. Entretanto, a vida em Matosinhos é calma, demasiado calma para uma mulher com sede de viver e uma carta de Apeles vem destabilizar tudo. O irmão mais novo de Florbela pede-lhe que o visite em Lisboa. Tem quatro dias de licença e podem assim fazer as pazes e retomar a proximidade que sempre tiveram.
 Florbela faz uma mala e parte, à procura do irmão, da vida, da adrenalina que deixou para traz quando casou com Mário. Em Lisboa, o reencontro é poderoso e Florbela está disposta a esquecer, por alguns dias, a sua vida no Norte do país. Mas a visita intempestiva de Mário perturba-ae este triângulo de vontades só pode correr mal. E corre ainda pior quando Floberla percebe que o irmão nunca irá desistir da carreira de piloto-aviador que ela tanto teme e que, o seu instinto feminino não pára de assombrar.
 Sinopse do terceiro episódio (contém spoilers) - Apeles morre num desastre de avião em pleno Tejo e Florbela cai numa espiral de loucura e sofrimento que a levam ao internamento. Mas a morte também serve para ajustar contas com a vida e Florbela, recuperada, decidida, faz uma mala e parte para Vila Viçosa, o lugar onde tudo começou e reencontra o passado; o pai, o primeiro marido, a biblioteca e os livros onde escreveu pela primeira vez, a paisagem alentejana. Neste seu regresso ela tenta, pela última vez, encontrar-se a si mesma.
Mas nem tudo é simplesm nem a vida lhe dá todas as respostas. A morte de Apeles foi e é um rude golpe na sua estabilidade e Florbela equaciona a sua própria vida. Até que um momento de desespero a faz reconsiderar tudo, até mesmo o seu destino. E diante do fantasma do irmão e do amor que lhe tem, ela decide mergulhar uma última vez e voltar a escrever. Mais não seja, escrever o irmão e assim vencer a morte que o levou.
Vale a pena recordar que a minissérie "Perdidamente Florbela" é exibida entre os dias 26 a 28 de Dezembro, na RTP1, a partir das 21H:30. Fiquem agora com dois vídeos promocionais de "Perdidamente Florbela":




0 comments:

Post a Comment